Ano novo e as perguntas continuam sem respostas…

É isso aí: entra ano, sai ano e algumas perguntas permanecem sem respostas…

Já tenho experiência de vida suficiente para saber que algumas coisas simplesmente não se resolvem nunca porque, na atual existência, somos covardes e sentimentais o suficiente para deixar de viver algo que queremos para não magoar outras pessoas.

O tempo passa, as feridas vão se curando naturalmente e, arrisco dizer, diante da correria do dia-a-dia, as lembranças vão se apagando, mas, de repente, out of nowhere, você recebe uma ingênua e singela mensagem e isso te faz dar um rápido rewind no filme da sua vida. Você sente tudo novamente, o coração dispara e você, conhecendo muito bem o remetente, desconfia que pode não ter sido tão ingênuo e singelo como parecia ser.

É… 2013, começou com trilha sonora para aquele destinatário que talvez nunca leia este post…

Reescrevendo:

“You are the closest to heaven that I´ll ever be

And I didn’t want to go home that way.

And all I could taste is that moment.

And all I could breathe is your life.

And sooner or later it’s over,

I just didn’t want to miss you that night”.

 

“And you can’t fight the tears that ain’t coming

Or the moment of truth in your lies.

When everything feels like the movies,

Yeah, you bleed just to know you’re alive”.

Vídeo

The One That Got Away…

The past is like a handful of dust: it filters through your fingers, disappearing little by little.

I wish for one day I could go back.

In another life I will do things differently.

Vídeo

MTV e as músicas com nomes de mulher

Hoje, sábado, dia 09/06/2012, a MTV Brasil fez vários rankings de clips. Um deles, um Top 10 entre músicas com nomes de mulher: peguei no finalzinho, “Iris”, do Goo Goo Dolls, em segundo lugar, e “Layla”, do Eric Clapton, em primeiro.

Isso me levou a procurar sites que fazem listas e ver o que listavam de outras músicas com nomes de mulher, já que comecei a me lembrar de alguns.Vi coisas bizarras que, para quem gosta de música, soa como absurdo!

Em uma das listas, “Camila, Camila” aparece como gravada pelos Engenheiros do Hawaii. Oi??? Nenhum de Nós, gravou essa música que, na época, pelo que lembro, muitos diziam ser sobre um travesti.

Em outra, aparece “Andrea Doria”. Oh, meu Deus! Renato Russo deve ter se revirado no túmulo!!!!!!!!!!!!! Primeiramente, Andrea Doria era o nome de um navio italiano, batizado com tal nome em homenagem a um almirante genovês. Sim, Andrea é nome de homem na Itália. Segundo: a letra é sobre um relacionamento que não deu certo, podendo ser traçada uma correspondência com o naufrágio de tal navio (ocorrido em 1956, após colidir com outra embarcação, tendo sido perdidas vidas e várias obras de arte no acidente).

Em outra lista aparece “Bloody Mary”. Pééééé! A música da banda Creedance Clearwater Revival chama-se “Proud Mary”. Bloody Mary” é um nome de um drink feito basicamente com suco de tomate cujo nome foi dado em homenagem à Rainha Maria I (Queen Mary I) da Inglaterra, conhecida haver mandado matar 300 hereges.

Enfim, lembrei de algumas músicas que tem em seu título nomes femininos que gosto muito:

 

– “Iris”, Goo Goo Dolls;

– “Kayleigh”, Marillion;

– “Roxanne” (a prostituta mais famosa do mundo, depois da “Pretty Woman” de Julia Roberts), The Police;

– “Candy”, Iggy Pop & Kate Pierson;

– “Carolina”, Seu Jorge;

– “Layla”, Eric Clapton;

– “Lia”, Gilberto Gil;

E as mulheres de Chico e de Tom Jobim/Vinícius de Morais, claro!

 

Unfinished

Sabe quando você sufoca uma louca vontade de falar/escrever algo? Pois é… Isso já dura tanto tempo…

Vez ou outra, consigo falar, mas a vontade de escrever é enorme…

Acho que ainda vou escrever sobre isso… Um dia… Quem sabe?

Overjoyed: For in romance all true love needs is a chance!

Talvez isso nunca chegue ao destinatário…

Over time
I’ve been building my castle of love
Just for two
Though you never knew you were my reason
 
I”ve gone much too far
For you now to say
That I’ve got to throw
My castle away
 
Over dreams
I have picked out a perfect come true
Though you never knew it was of you I’ve been dreaming
 
The sand man has come
From too far away
For you to say come
Back some other day
 
And though you don’t believe that they do
They do come true
For did my dreams
Come true when I looked at you
And maybe too if you would believe
You too might be
Overjoyed
Over love
Over me
 
Over hearts
I have painfully turned every stone
Just to find
I have found what I’ve
searched to discover
 
I come much too far
For me now to find
The love that I sought
Can never be mine
 
And though you don’t believe that they do
They do come true
For did my dreams
Come true when I looked at you
And maybe too if you would believe
You too might be
Overjoyed
Over love
Over me
 
And though the odds say improbable
What do they know
For in romance
All true love needs is a chance
And maybe with a chance you will find
You too like I
Overjoyed
Over love
Over you
 
Over you…
12/05/20esempre!

So disappointed…

Sinceramente, já estava pensando em deletar o blog pela simples falta de tempo de postar. Mas li alguns textos do meu antigo blog e, junto com a sensação de desapontamento, resolvi desabafar.

Sabem quando o tiro vem de onde menos você espera? Melhor: que o atirador é quem você menos espera! Pois é. Sempre achei que, com mais de 30 anos as pessoas agissem como adultos e não como crianças mimadas. Mas, não! Misturam pessoal com profissional, te pintam como alguém que você não é, mesmo depois de muito dar colo e carinho quando mais precisaram.

Fui envolvida (sem querer) em uma história até o pescoço e ainda levo patadas… Custo a acreditar que seja a mesma pessoa, mas, pelo sim, pelo não, não quero mais saber. Até porque, na minha concepção, isso não é amizade.

Enfim, é com tristeza que devo admitir: ainda que fosse uma amizade verdadeira, elas podem ser interrompidas. Muitas vezes, para sempre.

Imagem

Foto retirada do site http://arcadosbones.blogspot.com

Equilíbrio…

São tantas coisas para fazer e tão pouco tempo para executá-las…

Desde agosto, vivo entre RJ e SP. Desde novembro, desdobro-me no eixo AQA/Rio, tendo, ainda que dar conta de trabalho em dobro, montagem de casa e, tentativas, sem sucesso, de arrumar a minha mudança amontoada em um dos quartos do apto.

O tempo livre tem sido dedicado ao sono, que tem me faltado.

As saudades do Kadu só aumentam (a ponto de eu preferir não ficar muito tempo no telefone, pois, no fundo, só vai piorar a falta que sinto do peito, da voz e do sorriso dele) e é difícil ficar sem os papos constantes com minha mãe, irmã e tia.

É fato que sou workaholic, mas tenho tentado me organizar de forma que consiga ter um tempinho que, atualmente, só me sobra para ficar de bob vendo meia hora de TV. Tenho que arrumar mais tempo para cuidar da minha saúde (prática de esportes urgente!) e para fazer outras coisas que me dêem alegria. Caso contrário, o trabalho vai te sugando a ponto de você achar que o mundo corporativo inteiro depende exclusivamente de você: o que não é verdade. O que percebo é que não tem ninguém para resolver as minhas coisas, pelo simples fato de que não tenho tempo. Mas, no trabalho, sempre irão arrumar quem faça, ainda que me esperem voltar para fazê-lo.

E é nessa balança que me encontro e preciso achar o equilíbrio perfeito. Mas isso é tão difícil…

Entradas Mais Antigas Anteriores